Melhores estratégias para uso do marketing conversacional


O marketing conversacional faz com que o consumidor se sinta mais próximo da marca e que o que é dito é direcionado a ele. Entenda!

O marketing vem evoluindo com o passar dos anos. Há cerca de 30 anos não se imaginava vender produtos online e fazer a divulgação desses em redes sociais. Atualmente, isso é algo comum no nosso cotidiano.

A forma de chegar ao consumidor mudou, foram criadas novas estratégias com base no seu comportamento e necessidades. E conhecendo melhor os usuários, surgiu o marketing conversacional.

O que é o marketing conversacional?

O nome marketing conversacional já pode dar um indício de qual sua principal função. Ele quer conversar com os consumidores.

É claro que essa conversa não visa apenas passar o tempo, mas obter informações e direcionar a pessoa para a venda. Afinal, a intenção do marketing é criar desejo e despertar a necessidade de um produto ou serviço.

Podemos então definir o marketing conversacional como uma estratégia usada para criar diálogos personalizados com o consumidor. Enquanto faz isso consegue aprender sobre o potencial cliente, oferecer um atendimento humanizado e diminuir o tempo do ciclo de vendas.

As estratégias de marketing conversacional

Para que se possa aplicar o marketing conversacional, a tecnologia é necessária. Ela permite obter as informações necessárias, organizar e aprender com elas. Ao mesmo tempo, garante uma diversidade de canais de atendimento e garante melhores resultados.

Entenda um pouco sobre algumas das melhores estratégias.

Engajar o cliente

Essa é uma forma de divulgar a marca e entender um pouco mais sobre os hábitos do consumidor. Para isso é preciso oferecer algo que chame a atenção.

Por exemplo, publicar uma enquete em que o público pode votar no produto preferido. Realizar promoções em que se deve divulgar a hashtag, por uma foto do produto que compraram nas redes sociais e outros, também funciona.

Isso fará com que o consumidor fique entretido com a marca e também permitirá obter informações sobre ele.

Interfaces amigáveis

Seja no aplicativo ou no site, a interface precisa ser amigável. Tanto que o UX (User Experience) está em alta.

A intenção é que a pessoa possa navegar em um ambiente amigável, que consiga encontrar as informações facilmente. Ela deve ter a sensação que aquilo foi pensado para ela e que de forma intuitiva pode acessar todos os recursos e informações.

Conteúdos adequados para a persona

Para que se possa conversar com o leitor, o conteúdo deve ser escrito para ele. Isso faz com que a definição das pessoas seja ainda mais relevante.

Ao ter um texto ou assistir um vídeo, deve passar a sensação de que a conversa é direta com ela. A linguagem é adequada e as informações apresentadas sanarão um problema.

O marketing conversacional deve ter um conteúdo rico e relevante para quem o acessa.

Adote o chatbot

O uso de chatbots é muito válido no marketing conversacional. Eles são mais amigáveis para quando se precisa obter uma informação ou tirar dúvidas.

Em vez de preencher um formulário extenso para saber o valor de um produto, a pessoa pode conversar por chat e passar as informações de forma mais sutil.

Por exemplo, em um site que vende convênio médico, o usuário que está buscando por um plano de saúde mais barato pode conseguir uma resposta no chat. Com uma conversa informal sobre as necessidades, valores que pretende gastar, onde vai utilizar o plano e recebe sugestões personalizadas.

Tudo pode ser feito de forma rápida e direcionada para o fechamento das vendas. Afinal, a personalização foi adotada.

Investir em relacionamento

Esse é um tópico bastante amplo, afinal, o relacionamento pode ser feito em diferentes canais.

Por exemplo, nas redes sociais quando um consumidor faz um questionamento na página da empresa, ele espera uma resposta rápida e amigável. É preciso ter atenção ao tempo de retorno e a forma como se fala, afinal, esse canal é um pouco informal e pode-se usar uma linguagem mais leve.

Os call center podem apresentar soluções antes mesmo de se falar com um atendente. Na URA (Unidade de Resposta Audível), ao clicar na opção é possível ter um atendimento automatizado e rápido. Um exemplo é para verificar o valor de uma conta.

Aplicativos de conversa como o WhatsApp também entram nessa lista. Eles podem ter atendimento automatizado ou humanizado e se aproximam dos consumidores.

O marketing conversacional está diretamente ligado ao relacionamento com o cliente, ele deve oferecer uma boa experiência, deve sempre pensar em personalização, agilidade, processos intuitivos e em oferecer um conteúdo rico.

A divulgação do produto ou serviço é algo feito de forma sutil para chegar a venda, sendo que no caso do marketing conversacional o cliente deve ser o foco de todas as ações.

Por: Jeniffer Elaina, do site PlanoDeSaude.net